Festival Internacional de Música Antiga de Diamantina

1º Festival de Música Antiga de Diamantina

1º Festival de Música Antiga de Diamantina

Uma série de oito concertos em diferentes espaços da cidade, três mesas de palestras e debates, curso de órgão histórico e um espetáculo dedicado às crianças compõem a primeira edição do Festival Internacional de Música Antiga de Diamantina.

Entre os dias 20 de fevereiro a 01 de março de 2015 a cidade, Patrimônio da Humanidade pela Unesco, será palco de uma programação de qualidade, que visa contribuir com o desenvolvimento cultural, a formação de plateias e o diálogo tão necessário sobre as relações entre patrimônio material e patrimônio imaterial, tendo a música antiga como matéria e espaço de conhecimento, debate e fruição artística.

A proposta busca, também, densificar a utilização e divulgação de um importante patrimônio do Brasil, o órgão Almeida e Silva/Lobo de Mesquita, situado na Igreja de Nossa Senhora do Carmo. Sua feitura, datada no século XVIII, configura um dos raros instrumentos de época construídos integralmente no Brasil, tendo sido concluída recentemente a sua restauração.

Além disso, o evento busca valorizar o patrimônio musical e histórico local, uma vez que Diamantina se caracteriza por notáveis expressões do fazer musical, como seu precioso acervo de partituras, seus toques de sinos, suas bandas musicais, os toques de seus tambores, a tradição das serestas, além dos instrumentos de casa custodiados no Museu do Diamante.

Realizado pela Lira Cultura e pelo Ministério da Cultura, e tendo como patrocinador Master o BNDES, o projeto busca favorecer o acesso ao público por meio da gratuidade das atividades e do fornecimento de transporte aos interessados, entre Belo Horizonte e a cidade de Diamantina, atendendo também os municípios localizados nesta rota.

Esperamos, com esta iniciativa, colaborar para fortalecer as políticas de educação patrimonial, de preservação, de memória e de fruição cultural, dando continuidade ao trabalho que a comunidade realiza na permanência e no desenvolvimento em torno de seus bens maiores.

 Marcela Bertelli, diretora executiva

PROGRAMAÇÃO

CONCERTOS

Dia 20/02/2015: Concerto I – Domenico Zipoli: integral para órgão

Marco Brescia (BRA/ITA) - órgão histórico Almeida e Silva / Lobo de Mesquita

Local: Igreja de N. S. do Carmo

Horário: 20h30

Dia 21/02/2015: Concerto II - Música religiosa luso-brasileira do último quartel do séc. XVIII

Alemmares Ensemble

Rodrigo Teodoro (BRA/PRT) - contínuo e direção

Rosana Orsini (BRA/PRT) – soprano

Nerea Berraondo (ESP) – mezzosoprano

Luciano Botelho (BRA/GBR) – tenor

Pedro Ometto (BRA) – baixo-barítono

Diana Vinagre (PRT) – violoncelo

José Gomes (PRT) – fagote

Marta Vicente (PRT) – contrabaixo

Local: Igreja de N. S. do Carmo

Horário: 20h30

Dia 22/02/2015: Concerto III – Música italiana para cravo

Bruno Procopio (BRA/FRA)

Local: Teatro Santa Izabel

Horário: 11h00

Dia 26/02/2015: Concerto IV – O órgão ibero-americano

Elisa Freixo (BRA) - órgão histórico

Almeida e Silva / Lobo de Mesquita

Local: Igreja de N. S. do Carmo

Horário: 20h30

Dia 27/02/2015: Concerto V – Ministriles de Marsias

Josep Borràs (ESP) – baixão

Fernando Sánchez (ESP) – baixão

Javier Artigas (ESP) – órgão

Local: Igreja de N. S. do Carmo

Horário: 20h30

Dia 28/02/2015: Concerto VI - Flos Carmeli

Favola d’Argo – Música Antiga

Bruno Forst (FRA/ESP) - órgão e direção

Rosana Orsini (BRA/PRT) – soprano

Nerea Berraondo (ESP) – mezzosoprano

Luciano Botelho (BRA/GBR) – tenor

Pedro Ometto (BRA) – baixo-barítono

Denys Stetsenko (UKR/PRT) – violino I

Meritxell Genís (ESP) – violino II

Núria Pujolràs (ESP) – viola

Carlos Montesinos (ESP) – violoncelo

Oriol Casadevall (ESP) – contrabaixo

Local: Igreja de N. S. do Carmo

Horário: 20h30

Dia 01/03/2015: Concerto VII – Portugal e a influência italiana

João Vaz (PRT) - órgão histórico Almeida e Silva / Lobo de Mesquita

Local: Igreja de N. S. do Carmo

Horário: 11h00

Concerto VIII – Sinos do Tejuco

Local: Centro histórico

Horário: 16h00

 

CURSOS

CURSO DE INTERPRETAÇÃO HISTÓRICA DO REPERTÓRIO IBÉRICO E ITALIANO (BARROCO E RENASCIMENTO)

Professores

Marco Brescia (repertório italiano) e Bruno Forst (repertório ibérico)

A oficina de interpretação histórica do repertório organístico ibérico e italiano (Renascimento e Barroco) integrada na primeira edição do Festival Internacional de Música Antiga de Diamantina, com o apoio da Academia de Música Antiga de Diamantina, visa densificar a vida musical e artística de Diamantina através da especialização de músicos ativos na cidade e região – e igualmente vindos de outras regiões do país – na prática historicamente fundamentada da Música Antiga, dinamizando o uso do órgão histórico Almeida e Silva/Lobo de Mesquita (1787) da Igreja da Venerável Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo, um dos instrumentos mais importantes do país, recentemente restaurado segundo critérios históricos, contribuindo assim ao vigente processo de sua plena reinserção na paisagem sonora, devocional e simbólica da cidade.

Metodologia de ensino

A partir do repertório proposto (Cf. lista completa abaixo), composto integralmente por obras de tecla ibérica e italiana dos sécs. XVI e XVII – previamente selecionadas, revistas e digitadas segundo critérios históricos, a serem enviadas diretamente pelos professores –, trabalhar-se-ão os principais postulados presentes na tratadística coeva, bem como aspectos organológicos, intrinsecamente associados à interpretação historicamente fundamentada do repertório organístico.

Material didático

Estudo da tratadística histórica – El Arte de tañer fantasía de Tomás de Santa María (1565), Tratado de Glosas de Diego Ortiz (1553), Declaración de Instrumentos Musicales de Juan Bermudo (1555),Il Transilvano dialogo sopra il vero modo di sonar organi de Girolamo Diruta (1593), Passaggi per potersi essercitare nel diminuire de Riccardo Rognoni (1592), L’Arte Organica de Costanzo Antegnati (1608), Facultad Orgánica de Francisco Correa de Arauxo (1626), Escuela Música según la práctica moderna de Pablo Nassarre (1724) –, a ser realizado diretamente pelos professores junto aos alunos a partir dos fac-símiles dos respectivos tratados.

Conteúdos a serem ministrados

Digitação histórica, toque histórico, ornamentação historicamente fundamentada – quiebros(sencillo, reiterado, de mínimas), redoblesgroppitremoli –, glosaaire airecillo, principais formas musicais – fantasía tiento (de llenode falsaspartidode batalla), fabordones glosados,diferenciasversoshinostoccate e intonazioniversettiricercaripartitecanzonecapricci –, registração histórica, fundamentos de improvisação e de contínuo.

Público alvoorganistas, cravistas e instrumentistas de tecla histórica.

LocalIgreja da Venerável Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo de Diamantina.

Instrumento no qual se realizará a oficinaórgão histórico Almeida e Silva / Lobo de Mesquita (1787). Os alunos executantes contarão com cerca de 12 horas de estudo junto ao instrumento, repartidas entre todos nos dias 22 e 23 de fevereiro de 2015.

Duração da oficina: 12 horas/aula, entre os dias 23 e 25 de fevereiro de 2015.

Inscriçãoaté o dia 23 de janeiro de 2015, através do formulário eletrônico abaixo.

Número de vagas: um máximo de 8 alunos executantes, que deverão preparar ao menos quatro obras do repertório proposto (duas italianas e duas ibéricas). Número livre de alunos ouvintes. Os resultados serão comunicados por e-mail pela organização do festival no próximo dia 24 de janeiro, quando serão igualmente enviadas as partituras em formato digital.

Custogratuito.

Certificaçãoserão emitidos certificados de participação (executantes e ouvintes) a todos os alunos que tiverem um mínimo de 8 horas de presença em classe.

 

PALESTRAS E DEBATES

 

Patrimônio Imaterial | Patrimônio Material: um diálogo necessário

Local: Casa de Chica da Silva

Dia: 21 de fevereiro

Horário: 15h00

Participação:

Corina Moreira – Departamento do Patrimônio Imaterial – IPHAN

Mary Ângela Biason – Arquivo de Música – Museu da Inconfidência de Ouro Preto

Patrimônio Imaterial | Patrimônio Material: experiências compartilhadas

Local: Casa de Chica da Silva

Dia: 22 de fevereiro

Local: 15h00

Participação:

Lílian Oliveira – Museu do Diamante – IBRAM

Chiquinho de Assis – Musicólogo e Vereador da Câmara Municipal de Ouro Preto

Rodrigo Teodoro de Paula – Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical – Universidade Nova de Lisboa

 

Patrimônio Imaterial | Patrimônio Material: o legado organário brasileiro

Local: Casa de Chica da Silva

Dia: 24 de fevereiro

Horário: 15h00

Participação:

Marco Brescia – Coordenador do restauro e organista titular do órgão histórico de Diamantina

Frédéric Desmottes – Mestre organeiro responsável pelo restauro do órgão histórico de Diamantina – Taller de Organería Hermanos Desmottes

Elisa Freixo – Coordenadora do restauro e organista titular dos órgãos históricos de Mariana e Tiradentes

Marcela Bertelli – Gestora do projeto de restauro do órgão histórico Almeida e Silva | Lobo de Mesquita de Diamantina – Lira Cultura