Instituto Brasileiro de Museus

Museu do Diamante

Mostra virtual “O ciclo do tropeirismo no planeta Itambé”

A mostra virtual “O ciclo do tropeirismo no planeta Itambé”, produzida em parceria com a artista visual Elisa Grossi, já está disponível. ⁣⁣Além de divulgar uma parte dos trabalhos da artista, a mostra procura refletir sobre a importância do tropeirismo para o processo de ocupação do Alto Jequitinhonha. ⁣ Confira: museudodiamante.acervos.museus.gov.br/tropeiro⁣Ao acessar a mostra, não […]

publicado: 07/07/2020 16h39, última modificação: 04/08/2020 14h12

A mostra virtual “O ciclo do tropeirismo no planeta Itambé”, produzida em parceria com a artista visual Elisa Grossi, já está disponível. ⁣

Além de divulgar uma parte dos trabalhos da artista, a mostra procura refletir sobre a importância do tropeirismo para o processo de ocupação do Alto Jequitinhonha. ⁣

Confira:
museudodiamante.acervos.museus.gov.br/tropeiro

Ao acessar a mostra, não deixe de conferir o catálogo de obras e assinar nossa lista de presença!⁣

Sr. Anacleto Ramos de Souza, de 92 anos, nos relata neste vídeo a presença dos ranchos que serviam de abrigo para os tropeiros no distrito de Mendanha, a 27 km de Diamantina/MG. ⁣

No vídeo, Sr. Laerte da Cunha, morador do Serro, relata fatos marcantes do período do tropeirismo na região do Serro e Diamantina. ⁣

A diamantinense Maria Angélica Diniz Pimenta, nos relata lembranças de sua infância na casa dos avôs, que muitas vezes serviu de abrigo para os tropeiros em Diamantina.

A mendanhense, Sueli Antônia de Oliveira, nos relata detalhes do cotidiano temporário dos tropeiros na região de Mendanha em meados do século XX.⁣

A cultura material e imaterial deixada pelos tropeiros permanece resguardada por algumas famílias, que passam de geração em geração as histórias, os costumes e objetos que remetem ao período do tropeirismo na região do Vale Jequitinhonha.⁣

Em Itamarandiba, 179,1 km de Diamantina, a família do tropeiro Geraldo Araújo, mais conhecido como Lau da Fazenda, preserva a trempe, tripé sob o qual se colocava a panela ao fogo e a bruaca, bolsa grande de couro cru, que era usada para transportar mercadorias finas. ⁣
@gabrieltasso_

⁣⁣A artista visual Elisa Grossi produziu uma coleção de quadros relacionadas à memória deste distinto tropeiro e as obras estão expostas na cidade de Urupema/SC. ⁣
Quem nos conta sobre essa trajetória é Eleni Cássia Vieira, especialista em Gestão do Patrimônio Cultural e do Turismo Regional e pesquisadora sobre o tropeirismo em todo o Brasil.⁣

View this post on Instagram

O CICLO DO TROPEIRISMO NO PLANETA ITAMBÉ⁣ ⁣ Nas últimas postagens feitas pelo Museu do Diamante/Ibram nas redes sociais, é possível vislumbrar a importância do tropeirismo para a ocupação do Alto Jequitinhonha e do Brasil. ⁣ ⁣ Nos próximos dias você conhecerá a história do tropeiro diamantinense Domingos José de Almeida, que migrou para o sul do país e deu relevantes contribuições para a sociedade daquela região.⁣ ⁣ A artista visual Elisa Grossi produziu uma coleção de quadros relacionadas à memória deste distinto tropeiro e as obras estão expostas na cidade de Urupema/SC. ⁣ ⁣ Quem nos conta sobre essa trajetória é Eleni Cássia Vieira, especialista em Gestão do Patrimônio Cultural e do Turismo Regional e pesquisadora sobre o tropeirismo em todo o Brasil.⁣ ⁣ Para não perder nossas próximas publicações e conhecer mais um pouquinho desta história, ative nossas notificações e nos acompanhe nas redes sociais.⁣ ⁣⁣ Instagram: @museudodiamante⁣⁣⁣⁣ Facebook: Museu do Diamante/Ibram ⁣⁣ Twitter: @MuseudoDiamante⁣⁣⁣⁣ Site: https://museudodiamante.museus.gov.br/⁣⁣⁣⁣ ⁣ O LINK DA MOSTRA VIRTUAL ESTÁ DISPONÍVEL EM NOSSA BIO, ACESSE! ⁣ ⁣ #museudodiamante #ibram #diamantina #minasgerais #museusibram #cultura #tropeirismo #brasil #historia #itambe #quarentena #patrimonio #cultural #turismo #regional

A post shared by Museu do Diamante/Ibram (@museudodiamante) on

View this post on Instagram

Neste vídeo, Carlos Roberto Solera, pesquisador da história e cultura tropeira há mais de 40 anos, nos conta sobre a relevância do tijucano Domingos José de Almeida para a história do tropeirismo em todo o país. ⁣ ⁣ Carlos Roberto Solera desde 2010 coordena o projeto Tropeiro Brasil, que idealizou e hoje envolve 8 estados do Brasil. Recebeu em 2012 o prêmio Rodrigo Melo Franco do IPHAN/MG pelo desenvolvimento de projetos da Cultura Tropeira no estado e hoje preside a ONG NATA e junto de sua esposa, Eleni Cássia Vieira, participou do processo de pesquisa histórica para a Casa da Cultura e Memória de Urupema/SC, onde vivem. ⁣ ⁣ Em Urupema trabalham com o desenvolvimento em atividades escolares sobre a importância do Patrimônio Cultural e o sentido de pertencimento. São responsáveis pela Reimplantação da Casa da Cultura e Memória na cidade e em março de 2020 iniciaram junto a artista Elisa Grossi um projeto local, que foi prorrogado em decorrência do covid-19. ⁣ ⁣ Para não perder nossas próximas publicações e conhecer mais um pouquinho desta história, ative nossas notificações e nos acompanhe nas redes sociais.⁣⁣⁣⁣ ⁣⁣⁣⁣⁣ Instagram: @museudodiamante⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣ Facebook: Museu do Diamante/Ibram ⁣⁣⁣⁣⁣ Twitter: @MuseudoDiamante⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣ Site: https://museudodiamante.museus.gov.br/⁣⁣⁣⁣⁣⁣⁣ ⁣ ⁣⁣⁣@atelierelisagrossi @elisamariagrossifabrino⁣ ⁣ O LINK DA MOSTRA VIRTUAL ESTÁ DISPONÍVEL EM NOSSA BIO, ACESSE! ⁣⁣⁣⁣ ⁣⁣⁣⁣ #museudodiamante #ibram #diamantina #minasgerais #museusibram #cultura #tropeirismo #brasil #historia #itambe #quarentena #patrimonio #cultural #turismo #regional

A post shared by Museu do Diamante/Ibram (@museudodiamante) on


• AGRADECIMENTOS •⁣

O Museu do Diamante/Ibram agradece a todos que contribuíram para a realização da mostra temporária virtual, “O ciclo do Tropeirismo no Planeta Itambé”. Em especial agradecemos a artista Elisa Grossi por aceitar nosso convite e abrir seu espaço criativo para nós. Também agradecemos a sra. Cristina Queiroz, ao sr. Laerte da Cunha, ao sr. Anacleto Ramos de Souza, a sra. Maria Angélica Diniz Pimenta, a sra. Sueli Antônia de Oliveira e aos familiares do sr. Geraldo Araújo, pessoas que dispuseram de seu tempo e de suas memórias para tornar nossa ação mais apurada.⁣