Instituto Brasileiro de Museus

Museu do Diamante

Mostra de Arte Negra

No mês de novembro o Museu do Diamante realizou a Mostra de Arte Negra, uma chamada que buscou divulgar e promover o trabalho de artistas negros do município de Diamantina e região, integrando a programação do Novembro Negro no MD. Participaram ARTISTAS NEGROS E NEGRAS de Diamantina e distritos com diversas linguagens artísticas. Os participantes […]

publicado: 07/12/2020 16h47, última modificação: 03/02/2021 10h04

No mês de novembro o Museu do Diamante realizou a Mostra de Arte Negra, uma chamada que buscou divulgar e promover o trabalho de artistas negros do município de Diamantina e região, integrando a programação do Novembro Negro no MD.

Participaram ARTISTAS NEGROS E NEGRAS de Diamantina e distritos com diversas linguagens artísticas. Os participantes enviaram vídeos com sua arte e o resultado foi divulgado nas nossas redes sociais.

NOVEMBRO NEGRO NO MD https://www.instagram.com/p/CH8lqj1hdj9/

Artista: @robsondbrito – Intérprete: @janaineferraz
Obra: Raiz de Baobá (Vídeo Poema)

Robson Di Brito é jornalista, letrista e Mestre interdisciplinar pela UFVJM; autor de poemas, romances e contos. É professor de literatura, pesquisador das mitologias afro-brasileiras e cultuador dos Orixás.

A VALENTINA, O RASGO DO VÉU E A CARMEM https://www.instagram.com/p/CIBtDhKhEBc/

Artista: Herivelton Silva
Obras: A Valentina (2019 – Técnica Mista sobre papel canson); O rasgo do véu (2019 – Técnica Mista sobre papel canson); A Carmen (2020 – Técnica Mista sobre papel canson)

Natural de Diamantina, Herivelton Silva pinta desde os 14 anos de idade, revelando traços fortes e marcantes na técnica óleo sobre tela. Após seu amadurecimento como artista, tendo como mestres os grandes artistas modernistas, desenvolve uma técnica mista que utiliza hoje em suas obras. Com seu retorno ao cenário artístico no ano de 2019, participou da Exposição Coletiva no Teatro Santa Izabel “Tempus”, com a Obra “O Vaso do Tempo”; da Exposição de arte e poesia solo no Museu do Diamante/Ibram, após ser selecionado pelo 2° Edital “Ocupa Museu”; e da Exposição “O Homem e a Natureza” (Museu do Diamante/Ibram), onde a poesia criada na hora para os visitantes encontrou seu lugar.

Em seguida realizou a exposição “Arte com alma – um passo na História” no beco da tecla em Diamantina apresentando novas criações para o público. Em meio à pandemia, realizou as Exposições de Arte e poesia on-line em sua rede social, “Lumine Naturae, e a essência das flores” e “Diamantina em aquarela mista”, esta última em parceria com o Museu do Diamante/Ibram. No mês de Outubro/2020 participou da 1°Exposição Coletiva do Clube dos Artistas, na Casa Expo em São Paulo.

ME RECUSO https://www.instagram.com/p/CIHKSDOBxky/

Artistas: Mateus Dias e William Ferreira
Obra: Me Recuso

Mateus Dias é natural de Diamantina e atualmente reside em Pedro Leopoldo. Mantém fortes vínculos com o território diamantinense, por meio da família, amigos e parcerias artísticas. É grafiteiro e artista visual, e após ver o vídeo de William Ferreira no Sarau Virtual de Poesias do MD, sentiu-se mobilizado a criar este poema e atuar no mesmo. William Ferreira escreve poemas e faz performances artísticas, tendo participado do Sarau Virtual de Poesia do MD.

OS VISSUNGOS https://www.instagram.com/p/CIOjN05BO1S/

Artista: Evandro Passos @passos_e_passos
Obra: Herança dos Vissungos (Dança – Artes Cênicas)

Evandro Passos é mineiro de Diamantina. As festas do Rosário dos Homens Pretos, as Folias de Reis, as Pastorinhas e demais manifestações culturais tradicionais influenciaram seu trabalho artístico. Saiu de Diamantina em 1975 quando várias famílias partiram da cidade, com o fim dos Correios, onde seu pai, José dos Passos, trabalhava. Mesmo morando fora Evandro Passos tem total influência na arte e na cultura de Diamantina. O Artista está sendo indicado a receber o título de Notório Saber pela UFMG, pela relevância de seu trabalho artístico e cultural. Em 1996 ganhou uma bolsa da UNESCO/ASCHEBERG quando foi estudar na África, Costa do Marfim.

SOU NEGRA, SOU FORTE, SOU RAÇA https://www.instagram.com/p/CIWJN4RBb4A/

Artista: Magda Matos

Obra: Sou negra, sou forte, sou raça.

Magda Matos, natural de Diamantina, mulher negra. Teve influência musical do pai Chocolate, músico da Banda do Batalhão.

A mãe, atriz autodidata, fazia teatro pelas ruas do bairro Vila Operária.

Sobre o vídeo apresentado, Magda explica que se trata de música de domínio público, conhecida como “quenda”, que ela cantou na novela Chica da Silva com mais 20 meninas.

Foi indicada por Erildo Nascimento, que também lhe ensinou a música. Fez também várias apresentações cantando em grupos de dança e coral.