Instituto Brasileiro de Museus

Museu do Diamante

Dia Mundial da Poesia

.

publicado: 05/04/2022 18h44, última modificação: 05/04/2022 18h44

✒️João Cabral de Melo Neto (1920-1999) nasceu no Recife e é considerado um dos maiores poetas de língua portuguesa. Sua obra poética, que vai de uma tendência surrealista até a poesia popular e regional, porém caracterizada pelo rigor estético, inaugurou uma nova forma de fazer poesia no Brasil. Foi membro da Academia Pernambucana de Letras e da Academia Brasileira, tendo sido agraciado com diversos prêmios, dentre eles o Camões. Pedra do Sono, O Cão sem Plumas e Morte e Vida Severina são algumas de suas obras mais conhecidas.

🏦No poema acima, o poeta remete a uma ideia bastante negativa de museu, visto como “depósito” ou “caixão”. Essa ideia de museu como “depósito de coisas velhas” esteve e ainda está muito arraigada no imaginário das pessoas, e só muito recentemente as instituições museológicas passaram a se preocupar em tecer novas narrativas e a criar noções de museus mais dinâmicos e cheios de vida.

✒️ Cecilia Meireles (1901-1964) nasceu no Rio de Janeiro e é uma das maiores poetas do Brasil, tendo se tornado um nome canônico no modernismo brasileiro. Seu estilo está principalmente associado ao neossimbolismo e seus temas incluíam o efêmero e a vida contemplativa. Também professora e jornalista, Cecilia Meireles iniciou sua carreira literária aos 18 anos de idade, quando publicou seu livro de poemas “Espectros”. Entre suas obras, se destaca o Romanceiro da Inconfidência, de 1953, que conta em versos a história das Minas Gerais dos inícios da colonização no século XVII até a Conjuração Mineira, e inclui um lindo poema sobre Padre Rolim, antigo morador do casarão que abriga o Museu do Diamante!

🏺No poema acima, a ideia de museu apresentada remete, sobretudo, ao passado e às ausências: “cetro sem mãos”, “leques sem fala”, “trompas sem caçadas”, “pêndulos de horas não mais escutadas”. O poema enumera objetos comumente pertencentes ao acervo de museus tradicionais e apresentados como relíquias e artigos luxuosos, tais como coroas, cetros, anéis, ouro, prata, turquesa e granadas.