Instituto Brasileiro de Museus

Museu do Diamante

Aniversário de 68 anos do Museu do Diamante

Comemore com a gente!

publicado: 05/04/2022 18h50, última modificação: 26/04/2022 18h47

🖼A tela “Além dos Olhos”, da artista visual Gracíola Rodrigues, nos mostra uma representação do Padre Rolim, antigo habitante do casarão sede do MD. Atualmente, o casarão se encontra interditado, e o MD está funcionando temporariamente na Casa de Chica da Silva, escritório técnico do IPHAN em Diamantina. Entretanto, a antiga residência do Padre Rolim continua sendo extremamente significativa e indissociável da história e da narrativa do Museu.

🎨A tela, doada para o MD em 2019, integrou a exposição coletiva “As faces de um padre”, na qual diversos artistas diamantinenses foram convidados a trazer suas representações deste personagem histórico. As obras foram concebidas a partir de um descritivo do Padre Rolim (uma espécie de “retrato falado”) realizado pelas autoridades da Coroa Portuguesa quando ele precisou fugir devido ao seu envolvimento na Conjuração Mineira.

👀A tela “Além dos Olhos” estará em exposição durante todo o mês de abril, como parte da programação de aniversário do MD. Venha conferir!

✅FICHA TÉCNICA:
Além dos Olhos (Padre Rolim) – 2019
Gracíola Rodrigues
Alt: 0,60 (m); Lar: 0,40 (m); Prof: 0,05 (m).
Óleo sobre tela, papel- colagem

🧔No dia 12 de abril o Museu do Diamante completa 68 anos, e este é o momento de relembrar a história e a memória do Padre Rolim, personagem histórico que habitou o casarão sede do Museu do Diamante.

🏛️Atualmente, o casarão se encontra interditado, e o MD está funcionado temporariamente na Casa de Chica da Silva, escritório técnico do IPHAN em Diamantina.

🏠Entretanto, a antiga residência do Padre Rolim continua sendo extremamente significativa e indissociável da história e da narrativa do Museu.

🎬Nesta série de vídeos realizada em 2020, a educadora e historiadora Marcela Fassy conta um pouco da história desse personagem fascinante, que participou da Conjuração Mineira de 1789 e desafiou a moral e os costumes de sua época.

Acesse o link para assistir os outros vídeos da série “Contação de História: Quem foi Padre Rolim?”:

🧔 Padre Rolim foi o antigo morador do casarão sede do Museu do Diamante, construído em meados do século XVIII, que hoje se encontra interditado e necessita de restauro. Padre Rolim foi um personagem fascinante, que desafiou a moral e os costumes de sua época, além de ser um dos principais envolvidos na Conjuração Mineira de 1789.

👀Quando a prisão dos inconfidentes foi decretada, Rolim conseguiu escapar e permaneceu foragido na Fazenda das Almas, pertencente ao seu pai, antes de ser capturado e enviado para a prisão em Lisboa. Durante esse período, as autoridades divulgaram um descritivo do Padre (uma espécie de “retrato falado”), com o objetivo de facilitar sua captura.

CONJURAÇÃO MINEIRA: Tiradentes e Padre Rolim – 21 de abril

🗡 O feriado de 21 de abril homenageia o alferes Joaquim José da Silva Xavier, mais conhecido como Tiradentes, enforcado nesta data no ano de 1792, devido à sua participação na Conjuração Mineira. Esta foi uma revolta de caráter separatista ocorrida na Capitania das Minas Gerais no final do século XVIII, que não chegou, no entanto, a ser deflagrada, já que a conspiração foi denunciada em 1789. A Conjuração, ou Inconfidência Mineira foi, em linhas gerais, resultado da insatisfação com a política fiscal imposta pela Coroa portuguesa e da influência de ideais republicanos, inspirados na independência norte-americana de 1776.

💰Embora grande parte dos conjurados fosse pertencente à elite socioeconômica das Minas, o grupo era composto por pessoas dos mais diversos ofícios, não havendo consenso geral sobre as reivindicações defendidas, como por exemplo sobre a permanência ou não da escravidão caso a capitania alcançasse sua independência. Após a denúncia da revolta e prisão dos envolvidos, o único que recebeu efetivamente a pena de morte foi Tiradentes, que era, também, o de situação econômica mais humilde.

🧔O Padre Rolim – antigo morador do casarão sede do Museu do Diamante – recebeu como pena a prisão em Portugal e teve todos os seus bens confiscados pela Coroa. Conseguiu, entretanto, retornar ao Tijuco em 1803. Pouca gente sabe que Padre Rolim foi um dos adeptos mais aguerridos da revolta, recebendo de Tiradentes o apelido de “Herói do Serro”!

✍️ A poeta Cecília Meireles dedicou o Romance XLV de seu Romanceiro da Inconfidência ao Padre Rolim, antigo morador do casarão sede do Museu do Diamante e que agora se encontra interditado e aguardando por restauro.

⚔️A leitura do poema é uma maneira deliciosa de conhecer melhor a história do Padre Rolim, recheada de aventuras: romances, fugas, conspirações…

📜No mês de abril, quando o Museu do Diamante comemora 68 anos, aproveitamos para trazer a você um pouco da história desse personagem tão importante para a memória da instituição e para o imaginário brasileiro!